ERP: porque a sua empresa precisa dessa solução

É muito comum que as pequenas e médias empresas tenham dúvidas sobre a necessidade de utilizar softwares ou recursos tecnológicos na gestão da empresa, pois acreditam que, por não serem grandes, conseguem desempenhar a função sem maiores problemas.

Em muitos casos, os empreendedores acreditam que o investimento necessário para a implantação desses recursos é alto e por isso nem procuram soluções tecnológicas completas que facilitem o dia a dia da empresa.

Mas estão enganados. Um sistema ERP, por exemplo, contribui para o aumento da produtividade e também para a redução de custos da empresa, aumentando a sua lucratividade.

Além disso, os softwares mais modernos são muito menos onerosos por se tratar de sistemas com armazenamento em nuvem, que eliminam a necessidade de instalação de equipamentos e de manutenções periódicas que tornavam os ERPs antigos bastante caros.

Um sistema ERP online pode se tornar uma poderosa ferramenta para que sua empresa aumente a integração entre os setores e também a competitividade no seu mercado de atuação.

As pequenas e médias empresas são as mais beneficiadas já que muitas vezes não podem contratar a quantidade de colaboradores necessária, mas possuem muitas responsabilidades.

 

O que é um ERP?

O ERP é um sistema de gestão empresarial online que unifica em um apenas um sistema todos os dados essenciais dos diversos setores da empresa.

Através dele é possível realizar a gestão financeira, acompanhando fluxo de caixa, pagamentos, recebimentos, criando orçamentos, a gestão contábil, com as emissões de notas fiscais de controle de pagamentos de impostos e obrigações, gestão de recursos humanos, gestão de clientes, gestão de vendas, controle de estoque e muito mais.    

As informações de cada setor da empresa são inseridas em módulos específicos que se integram, portanto as informações registradas no sistema podem ser visualizadas e utilizadas por todos os outros setores responsáveis.

Além disso, o software de gestão empresarial ERP permite a integração com outras plataformas como as de criação de lojas virtuais e e-commerce, facilitando ainda mais a inserção e organização das informações da empresa e dos clientes.

 

Benefícios para a empresa

  • Organização

A desorganização de informações pode gerar grandes prejuízos às empresas, que precisam fornecer aos seus colaboradores uma visão clara de suas funções, com acesso a todas as informações necessárias para o trabalho, e os objetivos desejados.

As empresas bem organizadas são mais eficientes e alcançam melhores resultados.

  • Produtividade

A facilidade de acesso às informações e a organização gera resultados de aumento da produtividade, com a melhor integração das áreas e visualização de problemas nos processos internos.

A automação de processo oferecida pelo recurso ERP também reduz a realização de processos internos manuais e repetitivos, contribuindo para a diminuição da incidência de erros e de retrabalho.

  • Tomada de decisões

Um dos principais recursos do ERP é a possibilidade de gerar relatórios em tempo real, com informações precisas que ajudam a visualizar a empresa de forma ampla, identificando problemas e oportunidades previamente, permitindo a criação de cenários futuros.

Com esse recurso o gestor consegue ter melhor condições de tomar decisões importantes para a empresa sem receio de errar.

  • Evolução tecnológica

A tecnologia está presente em todos os aspectos da vida e as empresas precisam aproveitar os recursos disponíveis para melhorar o seu desempenho e ampliar o seu crescimento.

Os sistemas ERP têm papel fundamental na transformação digital das empresas, facilitando o reconhecimento da marca, a qualidade dos serviços, e a melhor experiência dos clientes.

  • Acessibilidade

O armazenamento em nuvem permite que todas as informações sejam acessadas de qualquer lugar e em qualquer horário, sendo necessário apenas um equipamento eletrônico e acesso à internet.

Esse recurso proporciona flexibilidade de trabalho aos colaboradores e também aos gestores da empresa, que podem acompanhar os dados mesmo durante viagens ou reuniões fora da empresa.

A utilização de servidores em rede também garante a segurança das informações, através da criptografia, e a estabilidade do sistema, além dos backups automáticos que garantem que todas as informações serão registradas no sistema diariamente.

Agora você já sabe o que é um ERP para pequenas e medias empresas e certamente percebeu as vantagens desse recurso, principalmente para as pequenas e médias empresas.

Um sistema de gestão empresarial é um dos melhores investimentos que uma empresa pode fazer. No mercado acirrado como é o atual, nenhuma empresa é pequena demais para buscar uma solução empresarial e aumentar sua competitividade.

Boleto sem registro encerrado em 2018 – Cronograma Febraban

O boleto sem registro terá sua operação encerrada por todos os bancos em 2018 fechando assim uma era de fraudes com boletos.

Trataremos o boleto sem registro como passado neste post para falar o que era, das fraudes, do cronograma e do boleto com registro!

O que era o boleto sem registro?

O boleto sem registro era o mais comum e utilizado meio de cobrança por milhares de empresas no Brasil. O seu grande aspecto era a facilidade de emissão e administração. Você emitia o boleto e pronto!

Logo, quando o boleto fosse pago o banco identificava o pagamento. Mas antes disso, ele não existia para o bancos, era um papel com uma instrução de pagamento a um destinatário com um valor específico entre instruções de multa e juros.

 

As fraudes com boleto sem registro

Essa mesma facilidade, era uma grande brecha para fraudes que avançaram com a evolução da tecnologia e passavam cada vez mais imperceptíveis ao cliente comum, que efetuava um pagamento acreditando direcionar o dinheiro ao destinatário original.

Fato é que foram inúmeras as formas de fraude como:

  • Alteração simples do código de barras de pagamento na hora da impressão do boleto
  • Alteração simples do código de barras de pagamento na hora da gerar o boleto na tela do navegador

Esses formatos de fraude fugiam ao controle dos bancos, pois eram executadas na ponta, no cliente final que obtia o boleto para pagamento e podia estar infectado com vírus e malware.

 

Cronograma de encerramento do boleto sem registro

25 /08/18 – Boletos de R$ 400,00 ou mais

01/09/18 – Boletos de R$200 ou mais

13/10/18 – Boletos de R$100 ou mais

27/10/18 – Boletos de R$0,01 ou mais

10/11/18 – Processo concluído, fim do boleto sem registro.

Fonte oficial Febraban

 

Boleto com Registro x Sem Registro

Como o próprio nome diz, o boleto com registro é registrado no sistema do banco. Com isso, o banco tem todas as informações sobre a cobrança e, para que você consiga fazer o cancelamento ou qualquer alteração no boleto, como data de vencimento, é preciso enviar um arquivo de remessa ao banco com todas as informações da transação. Contudo hoje já existem meios de pagamento online como PagHiper e GerenciaNet que cuidam de todo esse trâmite de informações e sua operação de boleto, parecerá a mesma de antes, quando era sem registro.

Outra diferença é com relação às tarifas cobradas. Na modalidade de cobrança sem registro, o banco geralmente cobra tarifa apenas quando o boleto é efetivamente pago por meio da rede bancária. Já para a cobrança com registro, o banco pode cobrar tarifas sobre as operações de registro, alteração ou cancelamento do boleto. Ou seja, você pode pagar mais de uma tarifa para o mesmo boleto.

A vantagem do boleto com registro bancário é que, em caso de não pagamento, ele pode ser protestado em cartório. Apesar de não ser considerado um título de crédito, é possível protestar o título de crédito indicado no boleto, geralmente uma duplicata mercantil ou de serviço. Quando não está associado a um desses títulos, não é possível protestar o boleto.

Boletos com e sem Registro na Plataforma de Ecommerce da Brasil na Web

Em 1/12/2018 desligaremos e removeremos oficialmente todos os módulos de boleto sem registro de nossa plataforma de ecommerce em todos os clientes, evitando assim qualquer confusão de uso dos mesmos.

Atualmente a Brasil na Web oferece, por padrão, várias modalidades de integração com empresas que utilizam boleto Com Registro em suas soluções, são elas:

  • PagHiper
  • GerenciaNet
  • Pagseguro
  • Mercado Pago

Módulos adicionais que podem ser contratados a parte:

E ai, qual solução você vai usar? Gostou das informações? Comente!

Qual o melhor? PagSeguro, PayU, Mercado Pago, MoIP, PayPal ou Cielo?

Principais meios de pagamento para Ecommerce – Loja virtual

Estamos em 2018 e muitas pessoas querem vender online, mas não avaliam bem qual método de pagamento que vai oferecer aos clientes em sua loja virtual.

Desde 2005 eu acompanho vários meios de pagamento que foram surgindo e até desaparecendo. O que mostra como é importante ter um parceiro de recebimentos sólido para fazer histórico e negociar taxas.

Você quer saber qual empresa de pagamento online usar em sua loja virtual?
Quais taxas são cobradas?
Quais as mais confiáveis ou menos problemáticas?

banner-criar-loja-30dias-gratis-330-330

Quadro comparativo dos principais meios de pagamento para ecommerce

[supsystic-tables id=1]

 

Tarifa: Taxa principal cobrado por transação (pagamento que você recebe).

L.Saldo: Prazo em dias para liberação do saldo (valores que você recebeu).

D.Saque: Prazo em dias entre a solicitação do saque (do saldo) até o dinheiro cair em sua conta bancária.

L.Saldo: Dias para liberação do saldo (valores que você recebeu).

Tx.Saque: Taxa para solicitar um saque (transferência para sua conta bancária)

Tx.Transação: Taxa fixa por transação (adicional a taxa principal), normalmente cobrado em centavos por algumas empresas.

Js.Parcala ao Cliente: Taxa de Juros cobrada nos parcelamentos com juros para o seu cliente final.

Tx.Antecipação: Taxa de juros variável ou fixa, cobrada para que você receba antecipadamente parcelas de uma venda.

Modo de Operação: Tipo de tela que o cliente digita o cartão de crédito, hoje, normalmente todos oferecem o modo em que o cliente não sai da sua loja virtual = Transparente.

Receber Parcelado s/Juros: Algumas empresas permitem que você receba parcelado, como o cliente pagou, sem forçar a antecipação e assim evitando juros desnecessários.

Mensalidade: Taxa para se ter acesso a conta de recebimentos para integrar em sua loja virtual, similar a uma tarifa de bancos para manutenção de conta bancária.

Índice RA: Nota da empresa no Reclame Aqui, alguma possuem índice RA 1000 de comprometimento de  resposta e satisfação dos clientes.

 

Importante:
As informações foram niveladas pela operação de Cartão de Crédito e podem variar sem aviso prévio por parte de cada empresa.

Os dados expostos foram coletados do site de cada empresa ou suas páginas de suporte, em alguns casos por telefone ou até por acesso direto a uma conta ativa.

Antes de contratá-las, certifique-se de cada taxa, prazo e procedimentos por sua conta. 

PagseguroPayU – MoipMercado PagoPaypalCielo – Pagar.meIuguGerenciaNet – eRede

 

Comentários extras sobre os meios de pagamento para ecommerce

PagSeguro: Fácil de iniciar, taxas para ecommerce não muito atraentes, anti fraude incluso. Tido com um dos meios de pagamento que menos aprova transações devido ao alto grau de rigidez na análise de anti fraude. É a opção mais comum para quem está iniciando! Negociam em certos volumes de vendas. Oferece opção de boleto e recorrência.

PayU: As tarifas são aplicáveis aos clientes locais (empresas com operações no Brasil). Para consultar tarifas de clientes internacionais acesse PayU Global

MoIP: Tem a possibilidade de receber pagamentos em até 2 dias. Burocracia inicial é um problema para iniciantes e mais apressados.

Mercado Pago: Comum para quem já vende pelo Mercado Livre. Segundo colaboradores de lá, se você usar Mercado Livre em sua loja virtual, seus anúncios no ML ganham um pouco mais de visibilidade / melhor posicionamento.

PayPal: Fácil de começar, com a grande vantagem da disponibilidade rápida do dinheiro, taxas não muito competitivas, mas soube que em certos volumes ele aceitam negociar. Oferece opção de recorrência no cartão de crédito do cliente com muita facilidade.

Cielo: Ótima taxa de entrada, comum entre lojas virtuais mais maduras.

GerenciaNet: Ótimo painel para visualizar seus recebíveis, taxa inicial maior que concorrentes, oferece uma gama de serviços adicionais como recorrência e boleto.

Iugu: Taxa razoável. Ótimo sistema de cobrança e inteligência de antecipação, porém cobra mensalidade, algo incomum no mercado para ecommerce. Oferece serviços extras bem interessantes.

Pagar.me: Taxa razoável e interface de pagamento muito intuitiva para o cliente!

eRede: A menor taxa para contratos de ecommerce que já vi até hoje para nossos clientes na Brasil na Web, chegando a 1.8% no débito à vista. É um serviço do Itaú, logo, se você tem conta lá, negocie taxas com o seu gerente diretamente.

 

Nível de avaliações no Reclame Aqui:

Pagseguro

Cielo

Paypal

Iugu

GerenciaNet

Pagar.me

Mercado Pago

MOIP

PayU

eRede – Itaú

Planejando sua loja virtual para vender produtos na internet?

Checklist de Ecommerce – Guia para novos Lojistas

Com o Checklist de Ecommerce você terá um guia prático e orientado para evitar os erros básicos e começar com o pé direito nas vendas pela internet.

Faça download gratuito agora mesmo do checklist e comece a planejar a sua loja virtual para vencer a concorrência!

Download do Checklist

O conteúdo foi útil? Comente 🙂

E-commerce nacional fatura R$ 44,4 bilhões em 2016

 

O tradicional relatório Webshoppers, divulgado pela Ebit, chega à edição de nº 35 com a retrospectiva do mercado de e-commerce em 2016, as estimativas para 2017 e as mudanças de comportamento e preferências dos consumidores. O dado de maior impacto trazido pelo estudo dá conta do crescimento do e-commerce em 2016 no Brasil:

  • Faturamento de R$ 44,4 bilhões, com crescimento nominal de 7,4% ante os R$ 41,3 bilhões registrados em 2015.

Dados divulgados pelo relatório mostram que o número de e-consumidores ativos cresceu 22% na comparação com 2015, de 39,14 milhões para 47,93 milhões. A participação feminina no e-commerce avançou em 2016, representando 51,6% do total de vendas contabilizadas. As regiões Sul e Centro-Oeste registraram o maior avanço na participação em vendas.

O número de pedidos permaneceu estável, em 106,3 milhões, mas o tíquete médio registrou alta de 8% na comparação com 2015, passando de R$ 388 para R$ 417. Houve um salto considerável nas vendas via dispositivos móveis (tablets e smartphones), que concentraram 21,5% das transações em 2016, ante 12,5% no ano anterior.

Com 13,6% de share em volume de pedidos, a categoria de Moda e Acessórios voltou a liderar as vendas do e-commerce brasileiro.

 

As cinco categorias mais vendidas no ecommerce em 2016, em volume de pedidos, foram:

1) Moda e Acessórios – 13,6%

2) Eletrodomésticos – 13,1%

3) Livros/Assinaturas/Apostilas – 12,2%

4) Saúde/Cosméticos/Perfumaria – 11,2%

5) Telefonia e Celulares – 10,3%

Apesar da pequena queda de 0,2% no volume de pedidos, a categoria Eletrodomésticos ainda é a líder em faturamento do comércio eletrônico

 

As cinco categorias mais vendidas, em faturamento, foram:

1) Eletrodomésticos – 23%

2) Telefonia/Celulares – 21%

3) Eletrônicos – 12,4%

4) Informática – 9,5%

5) Casa e Decoração – 7,7%

 

Perspectivas para 2017

Para 2017, o relatório aponta boas perspectivas para o setor: faturamento de R$ 49,7 bilhões. Confirmada essa marca, o crescimento nominal de vendas no comércio eletrônico brasileiro deverá voltar a ser de dois dígitos neste ano: avanço de 12%. O tíquete médio deverá expandir 8%, para R$ 452, enquanto que, para o volume de pedidos, a expectativa é de uma alta de 4%, para 110 milhões.

As vendas via dispositivos móveis devem seguir em constante crescimento, aponta a Ebit. Está previsto um crescimento de 40% nas compras feitas por tabletes e smartphones.

Compras internacionais

Além do relatório Webshoppers 35a edição, a Ebit divulgou também a quarta edição da Pesquisa Cross Border, que avalia o comportamento de compra dos consumidores brasileiros em sites internacionais.

Mesmo em um cenário cambial desfavorável, quando o dólar ultrapassou os R$ 4,00 no primeiro trimestre, os brasileiros gastaram US$ 2,4 bilhões em sites de compra internacionais em 2016, alta de 17% ante os US$ 2,02 bilhões registrados em 2015. O número de consumidores únicos aumentou 21% na comparação entre os períodos, para 21,2 milhões de consumidores únicos.

 

Acesse o relatório na integra em Ebit

 

FONTE: E-commerce News

Lojas Virtuais responsivas vendem mais

O perfil da população mudou radicalmente desde que a internet passou a fazer parte do dia a dia. A relação com os amigos mudou, a forma de se fazer trabalhos escolares e acadêmicos também. Agora tudo é online e a informação passou a ser fácil e em apenas um clique. Consequentemente, a forma de se comprar também mudou. É muito comum ver pessoas fazendo compras pela internet e por isso ter uma loja virtual responsive não é uma questão de escolha, é uma necessidade! E esse é assunto que será o foco de nosso texto.

O grande facilitador do acesso à internet foi a invenção dos smartphones, que de acordo com pesquisas do IBGE, é o meio preferido pela maioria dos brasileiros para se acessar a internet. Só para se ter uma ideia,em 2014, 36,6 milhões de casas brasileiras já acessavam a internet, o que representa 54,9% do total de habitantes do Brasil. Destes, a cada 5 casas, 4 utilizam o celular para navegar na web.

A importância da boa experiência de compra em lojas virtuais responsivas

Diante do número alto de pessoas que acessam a internet de smartphones, é imprescindível se pensar na experiência do usuário nas compras feitas de smartphones e tablets.  De acordo com pesquisas realizada pelo Google, que é uma das maiores empresas de marketing online do mundo, um site que é responsive (otimizado para dispositivos móveis) converte duas vezes mais que um site que não é otimizado. Nós sabemos que o consumidor é exigente, e com as plataformas online não é diferente. Se o cliente acessa uma loja que é difícil de  navegar, ele logo sai e clica no próximo da lista da pesquisa que realizou no Google . Percebeu como o problema é crítico?

Além disso, em 2015 aconteceu o mobilegeddon, onde o Google passou a dar preferência nos resultados de busca orgânico para sites que são responsive. Isto quer dizer que a maioria do tráfego das pesquisas são dadas aos sites otimizados para celular. Sabe-se que, quanto mais visitantes um site recebe, maior é a probabilidade de este conseguir uma conversão, que para uma loja virtual é uma venda.

Não podemos negligenciar a questão de que, não basta apenas ter um site responsive e esperar que ele por si só gere vendas. Para se ter conversões em uma loja virtual é preciso que sejam realizadas algumas ações de marketing digital como SEO,  marketing de conteúdo, anúncios, email marketing, dentre outros. Assim o lojista garante que a loja receberá muitas visitas, que somada a uma boa experiência de compra aumentará a probabilidade de vendas.

Como saber se seu site está otimizado para dispositivos móveis?

Depois de todas estas explicações você já deve ter se convencido de que a melhor coisa a se fazer é ter uma loja otimizada para celular, certo? Aí fica a dúvida, como saber se a sua loja é responsive?

Bom, existe uma ferramenta do Google em que você pode fazer o teste e verificar se sua loja é otimizada para celular. O teste é gratuito, não se preocupe!

Fazer o teste de loja virtual responsive

Se você fez o teste e a sua loja não passou no “crivo”, saiba que há esperança para você! =D

A má notícia é que é necessário se criar uma nova loja virtual e a boa notícia é que é possível fazer isto com um investimento que cabe no seu bolso.

Plataforma para loja virtual (site de vendas) otimizado para celular

Muitas empresas trabalham com plataformas desenvolvidas para se adaptar à vários formatos de tela. Mas fique atento à todos os detalhes que a empresa proporciona para fazer a melhor escolha para a sua empresa.

Neste post vou abordar a o sistema de loja virtual da Brasil na Web, que trabalha com uma plataforma de loja virtual open Source, a Open Cart. O nosso diferencial está nas atualizações que são feitas continuamente, o suporte aos clientes e garantia de continuidade.

Para você ter uma ideia, na última atualização feita na plataforma de ecommerce Open Cart versão Brasil na Web, além de vários recursos implementados e bugs corrigidos, foi aprimorada a versão mobile da loja virtual, que ficou muito mais amigável e fácil de usar. Dentre os itens incluídos na atualização do 1° semestre de 2017 estão:

  • Opção de exibir ou esconder o banner simples no mobile e no desktop. Item super interessante, pois muitas vezes é necessário criar um banner especial que se encaixe em telas de celular e tablets.
  • Adicionada TAG para mudar de cor o navegador em mobile de android para a mesma cor escolhida na cor do fundo da loja virtual. Isto quer dizer que se o fundo da sua loja for azul, a aba do navegador ficará azul ao invés do cinza, o que ajuda na identificação da sua loja virtual.
  • Adaptado topo no mobile, deixando a busca sempre visível e apenas os links de carrinho e login. A versão da open cart default não tem a opção de busca destacado, item que é de extrema importância em dispositivos móveis.
  • Melhoria na exibição da imagem do detalhe do produto, em mobile.
  • Adicionada opção de escolher, para o mobile, quantos produtos por linha devem ser exibidos
  • Adicionada opção de escolher, para o mobile, quantos produtos por linha devem ser exibidos
  • Ajuste no mapa de cores para a cor do texto do menu mobile seguir a mesma da cor do menu desktop.
  • Ajustado o CSS do simulador de frete no detalhes do produto para poder ficar ao lado do texto “simule o frete” e no mobile um embaixo do outro.

Se você quiser saber todos os itens que foram atualizados é só acessar o link: Atualização Open Cart versão Brasil na Web.

Então, agora você já sabe porque uma loja virtual otimizada para celular converte mais, na hora de escolher a sua loja virtual, seja exigente! Opte por uma plataforma de loja virtual que é responsive e que é preparada para fornecer a melhor experiência de compra!

Referências

Agencia Brasil

Google Apis

Globo

 

 

 

Influencie a decisão de seu consumidor com cupons de desconto para comprar em sua loja virtual

loja-virtual-cupom-de-desconto

São muitos os fatores que podem influenciar a decisão do consumidor fechar (ou não) uma compra na sua loja virtual. Ter confiança na sua marca é importante, assim como encontrar boas condições de pagamento e de entrega. Mas o mais importante para garantir que a venda seja realizada na sua loja e não na de seu concorrente é mexer com a emoção do consumidor.

Existem alguns gatilhos mentais certeiros na hora de convencer o cliente a efetuar uma compra: você pode apelar para o senso de urgência, alegar exclusividade ou apresentar as últimas unidades de um produto, mas nada supera a eficácia de oferecer uma vantagem real para o consumidor. Quando o ser humano acredita que está fazendo um grande negócio, a conversão é quase certa.

E é aí que entram os cupons de desconto.

Ao publicar um cupom de desconto, você oferece a possibilidade do consumidor adquirir um produto (que muitas vezes ele nem precisa) por um preço abaixo do normal. E a possibilidade de fazer economia é simplesmente irresistível.

Se você possui uma loja virtual com a plataforma Open Cart será fácil criar um cupom de desconto. Basta entrar no painel de administração do seu site de vendas e acessar: vendas>cupons. Preencha todos os campos e pronto, seu cupom já estará disponível para ser utilizado.

==>Ainda não tem uma loja virtual? Crie um site de vendas agora!

Os benefícios dos cupons de desconto

Oferecer cupons de desconto traz uma série de benefícios reais para a sua empresa. Confira alguns deles:

Os cupons de desconto podem viralizar

Nossa tendência ao saber de boas novidades é compartilhar com os amigos. Ao oferecer um cupom de desconto realmente benéfico, você tem grandes chances de ver esse conteúdo viralizar e atrair novos clientes para seu e-commerce. Também é importante lembrar que os cupons de desconto costumam ser compartilhados em grupos e blogs especializados, o que aumenta o impacto virtual da sua marca.

Os cupons de desconto podem alavancar as suas vendas

Ao criar o seu cupom de desconto você pode determinar as regras do jogo. Se você deseja aumentar o ticket médio, basta estipular um valor mínimo para o desconto. Se o objetivo é acabar com o estoque de determinado produto, o cupom pode ser válido apenas na compra do mesmo. Trace metas para as suas vendas, e elabore o seu desconto a partir disso.

Os cupons de desconto diminuem as taxas de desistência no carrinho

Quando o cliente visualiza o impacto do cupom de desconto no carrinho, as chances dele desistir de efetuar a compra diminuem consideravelmente. Dessa maneira, diminuem seus investimentos em remarketing e você pode focar seus esforços em atrair novos clientes.

Você pode mensurar facilmente o resultado dos cupons de desconto

Com a ajuda do Google Analytics e de outras ferramentas, você pode visualizar facilmente o resultado do seu cupom de desconto e o impacto que ele causou nas suas vendas. O mesmo vale para as redes sociais: é muito fácil determinar o alcance dos seus posts a respeito do cupom de desconto.

Os cupons de desconto fidelizam o cliente

A sensação de ter feito um bom negócio é tão satisfatória que a sua empresa certamente causará uma boa impressão. São grandes as chances de que o cliente volte a buscar o seu e-commerce na hora de fazer novas compras!

Alguma dúvida de que os cupons de desconto são um excelente negócio para a sua empresa? Use a caixa de comentários para compartilhar sua experiência ao utilizar cupons de desconto na sua estratégia de marketing!

Não consigo acessar meu banco de dados do meu computador. O que posso fazer?

Um dos motivos para o banco de dados não estar acessível em seu computador pode ser o fato de seu IP não estar liberado no Painel de Controle para tal função.

Geralmente este tipo de erro apresenta algo desta forma na mensagem: “Access denied for IP..”

SOLUÇÃO – cPanel:
Acesse o Painel de Controle de sua conta de hospedagem e vá na opção “MySQL Remoto”, nesta opção você tem que adicionar o seu IP de internet liberando o acesso, ou adicionar “%.%.%.%” para liberar acesso à qualquer IP.

Se você é nosso cliente, obtenha ajuda para este assunto com o nosso suporte técnico abrindo um ticket aqui na Central no link abaixo:

http://www.brasilnaweb.com.br/suporte/index.php?_m=tickets&_a=submit&step=1&departmentid=10

Como restaurar um arquivo .SQL num banco MySQL pelo painel de controle?

Para restaurar um arquivo .SQL na base MySQL existem duas possibilidades:

Pelo phpMyAdmin siga os passos abaixo:
1. Clique em sua base de dados e depois em “SQL”;
2. Então clique no botão “Browse…” para localização do arquivo texto;
3. Para concluir, clique em “Executar”.

Qualquer dúvida entrar em contato pelo email suporte@brasilnaweb.com.br